Design

Criado em 16 de janeiro de 1988, através da Resolução Nº 02/87 em processo de reconhecimento, o curso de Desenho Industrial da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tinha por objetivo formar Desenhistas Industriais nas habilitações de Projeto de Produto e Programação Visual.

Pioneiro do ensino do design no Amazonas, a chegada do curso confunde-se com a chegada do próprio design no Estado. O Curso de Desenho Industrial da UFAM, que ao longo dos anos foi se fortalecendo, foi por mais de uma década o único curso da área no Estado.

Em junho de 2007  finalizou-se  a  formulação  do  novo  Projeto  Político-Pedagógico  do Curso, resultado do esforço conjunto do corpo docente, técnicos, funcionários e representantes discentes. O projeto traz como principais características a extinção das habilitações e a implantação de uma estrutura curricular mais abrangente que permite ao aluno maior adequação ao mercado de trabalho atual e à característica dinâmica que a atividade adquiriu nos últimos  anos.

A  nova  estrutura  do  curso  de  Design  UFAM  foi  elaborada  com  base  nas  Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Design (Resolução nº 5, de 8 de Março de 2004 - CNE/CES) e possibilita ao aluno uma formação mais abrangente, alicerçada em uma reflexão teórica atualizada no campo das várias áreas do conhecimento e do próprio Design. O curso em sua concepção preocupa-se metodologicamente com o incentivo à aplicação da potencialidade e liberdade criativa, promovendo a consciência social, valorizando e reconhecendo a nossa história e tendo sempre como preocupação a consolidação de toda ética profissional.

Além das modificações estruturais, no novo Projeto Pedagógico optou-se pela alteração da denominação do curso, substituindo-se o termo Desenho Industrial por Design em sua divulgação e em seus  editais de processo seletivo (PSM e PSC). O termo Desenho Industrial para denominar o curso, apesar de correto, por muitas vezes tem trazido dificuldades na compreensão de sua atividade, tanto por parte dos alunos que procuram o curso, que geralmente desconhecem o teor da graduação e expressam uma associação da nomenclatura Desenho Industrial com atividades voltadas à engenharia de processos industriais, quanto na inserção do egresso no mercado de trabalho que está mais familiarizado com o termo Design.